Olímpia-SP, Quinta-Feira, 27 de Fevereiro de 2020

Saúde

Ansiedade Infantil

Ansiedade é uma condição psicológica em que o indivíduo encontra-se num estado de apreensão desagradável, resultando em uma preocupação maior do que a exigida pela situação, e que pode causar sintomas físicos e psicológicos, como dor  de cabeça, dor no peito e falta de concentração. Os indivíduos ansiosos tendem a ser impulsivos e ter certa urgência em resolver problemas. 

 

 

Qualquer pessoa, em algum ponto da vida, vai enfrentar situações estressantes ou lidar com ambientes que causam estresse e ansiedade. Uma certa quantidade de ansiedade é normal e pode até ser motivador. Ela nos ajuda a permanecer alerta, focado, e pronto para nós fazermos o nosso melhor. Mas a ansiedade que é muito forte ou muito frequente pode tornar-se paralisante e interfere na capacidade de fazer as coisas e, em casos graves, pode dificultar a realização de diversas coisas boas e agradáveis ​​da vida. Para as crianças, alguns acontecimentos e situações simples podem se tornar opressivas e levar a distúrbios muito duradouros.

 

 

A ansiedade infantil pode manifestar-se desde os primeiros anos de vida, se ela for uma criança insegura ou se estiver diante de uma situação nova e não souber como lidar com isso. São vários fatores que parecem desenvolver a ansiedade, incluindo a genética, a bioquímica cerebral, uma resposta de luta-fuga hiperativa, as circunstâncias estressantes da vida e comportamento aprendido.

 

Uma criança com um membro da família que tem um transtorno de ansiedade tem uma chance maior de desenvolver um também. Isso pode estar relacionado a genes que podem afetar a química do cérebro e regulação dos neurotransmissores. 

 

 

É comum a criança apresentar sintomas de ansiedade quando os pais se separam, quando mudam de casa, mudam de escola ou quando algum ente querido morre, e por isso diante destas situações os pais devem ficar atentos ao comportamento da criança, verificando se ela confortável com a situação. 

 

Se a criança reclama de dores de cabeça, dor de barriga e febre antes de compromissos importantes, como uma prova ou um passeio com a escola, ou sente muita dificuldade em se separar dos pais, um sinal de alerta. E isso pode ocorrer a qualquer tempo, sem limite de idade.

 

Quanto mais cedo os pais identificarem esse desvio comportamental dos pequenos, menor será a chance da condição avançar para problemas mais sérios de relacionamento e mais eficiente será o tratamento terapêutico.

 

Os sintomas de ansiedade na criança podem se manifestar através de:  

 

● Mudança no comportamento ou no estado de espírito perante alguma situação ou notícia;

● Chorar muito;

● Não conseguir dormir;

● Ficar inquieta;

● Mostrar-se agressiva ou incomodada com algo;

● Voltar a chupar o dedo ou fazer xixi nas calças;

● Desenvolver problemas na fala.

● Problemas para dormir à noite ou sonolência durante o dia

● Inquietação ou fadiga durante as horas de vigília 

● Dificuldade de concentração 

● Irritabilidade

 

Quando estes sintomas são ligeiros e passageiros não há motivo para preocupação. No entanto, quando demoram mais de 3 dias para passar, os pais devem ficar atentos e tentar ajudar a criança a ultrapassar esta fase.

 

 

O tratamento para a ansiedade na criança envolve os pais e os professores que devem esclarecer as dúvidas a criança e fazê-la sentir-se amada e integrada.

 

A colaboração e ajuda de um psicólogo podem ser necessárias.

 

Normalmente quando a criança se sente segura, protegida e amparada, ela fica mais calma e mais tranquila. Conversar com a criança, olhando nos seus olhos, tentando perceber o ponto de vista dela ajuda a entender os seus próprios sentimentos, contribuindo assim para o seu desenvolvimento emocional.

 

 

Andresa de Gissi Sichieri

Psicóloga - Psicopedagoga

 

Clínica Viver Bem

Instagram @psicologaandresagissi

Cel - Whats:  17 98192 4787



Veja Também


Contatos
(17) 3281-6173
(17) 99721-1925

Estância Turística
de Olímpia
Cep: 15400-000