Saúde

15 de agosto dia da gestante Positivo. E agora? – O que fazer quando a gravidez é confirmada.

 

A futura mamãe precisa estar atenta aos cuidados com seu estado nutricional e com a beleza, sempre preservando a saúde do bebê.

 

 

Nem sempre a gravidez é confirmada rapidamente, algumas mulheres podem esperar alguns ciclos até que ela finalmente ocorra. Mas, quando surge o positivo, muitas ficam com dúvidas sobre como proceder nesta fase. No Dia da Gestante, comemorado em 15 de agosto, é importante relembrar os cuidados que todas as mulheres precisam ter para garantir uma gestação e um pós-parto saudáveis.

 

No momento em que a gravidez é confirmada, iniciam-se as consultas com o especialista em obstetrícia, que irá avaliar preventivamente a condição do bebê e verificar a saúde da mãe. Os exames de rotina recomendados a cada trimestre gestacional contemplam análises do sangue, ultrassom, curva glicêmica, entre outros. Nesta fase, a futura mamãe também precisa manter uma boa alimentação, assim o bebê poderá receber todos os nutrientes essenciais para o seu desenvolvimento, e a mulher terá uma gravidez sem a ocorrência de anemias, hemorragias e diabetes gestacional. “É importante ressaltar que o censo comum de que é necessário “comer por dois”, é equivocado, pois nesta fase a alimentação precisa ter mais qualidade do que quantidade” afirma o ginecologista e obstetra Guilherme Loureiro Fernandes, professor responsável pelo setor de Medicina Fetal da Faculdade de Medicina do ABC e médico responsável pelo setor de Medicina Fetal da Maternidade Pro Matre Paulista. O peso ideal de uma grávida oscila entre nove e doze quilos considerando toda a gestação, ou seja, cerca de 1,5 a 2 quilos por mês a partir da 16ª semana. Desta forma, é importante a restrição ao consumo de alimentos calóricos, como refrigerantes, balas e doces industrializados. Para uma melhor digestão, recomenda-se a divisão das refeições em seis a oito vezes ao dia, preparadas com ingredientes que são fontes de proteínas, ferro, cálcio e ácido fólico, preferencialmente com um baixo teor de gordura. Alguns alimentos que trazem estes benefícios são a carne vermelha que possui proteínas e ferro, os laticínios em geral que contêm cálcio e os vegetais verdes escuros, cereais, leguminosas e ovos, que são ricos em ácido fólico.

 

 

É comum que o especialista prescreva suplementos polivitamínicos/poliminerais para suprir as atividades fisiológicas que surgem com a gravidez, período em que ocorre um aumento das necessidades nutricionais diárias. Para uma maior eficiência, o suplemento precisa ter nutrientes como sais minerais, oligoelementos e vitaminas A, B1, B2, B6, B12, C, D, E, niacina, ácido fólico, cálcio, ferro e zinco (composição de NATELE®, da Bayer Schering Pharma), além de ser desenvolvido especialmente para mulheres grávidas. A deficiência de micronutrientes (vitaminas e sais minerais) pode ocorrer até mesmo em gestantes saudáveis, que se alimentam adequadamente, sendo a suplementação de vitaminas importante para a redução significativa da incidência de malformações neurológicas, cardíacas, faciais, urinária ou defeitos de membros. Há também evidências que comprovam a diminuição da incidência de abortamentos, pré-eclâmpsia (alta pressão arterial, retenção de líquidos e presença de proteína na urina), diabetes gestacional, trombose e nascimentos prematuros. “A gestante que recebe prescrição de suplementos polivitamínicos pode continuar o uso durante a amamentação. Mesmo em lactantes saudáveis, que se alimentam adequadamente, a deficiência de vitaminas e sais minerais pode ocorrer, por isso, a suplementação é indicada”, comenta o Dr. Guilherme Fernandes.

 

O mesmo cuidado dispensado para a saúde deve ocorrer também com a beleza, por ser um fator que influencia positivamente no estado emocional da gestante. No entanto, deve-se redobrar a atenção aos produtos utilizados, para que eles não ofereçam risco ao desenvolvimento do bebê. Normalmente, o que mais preocupa as gestantes é o surgimento de estrias, que podem aparecer no abdômen, nas mamas, nas nádegas e nas coxas, pois a pele fica mais fina e esgarçada ao ser esticada. “A mulher fica mais sensível durante a gravidez, desse modo o surgimento de estrias pode afetar a sua autoestima e deixá-la com vergonha do próprio corpo”, comenta o Dr. José Bento, ginecologista e obstetra dos Hospitais Albert Einstein e São Luís. O uso diário de um creme hidratante que previna as estrias e seja específico para gestantes, com composição hipoalergênica e sem perfumes e corante (LUCIARA®, da Bayer Schering Pharma), proporciona bem-estar para a futura mamãe. De acordo com o Dr. José Bento, é muito importante que a escolha do creme seja feita sob recomendação médica, pois este deve conter ingredientes que garantam a segurança da mãe e do bebê, uma vez que as gestantes não podem ser expostas a certos tipos de componentes presentes em diversos cosméticos.

 

Em relação aos cabelos, podem ocorrer mudanças em sua textura, volume e brilho. Os casos de aumento da oleosidade capilar podem ser explicados pela grande quantidade de progesterona circulante que estimula as glândulas sebáceas do couro cabeludo. “Em geral, não é indicado que as grávidas utilizem produtos químicos como tinturas e descolorações, além de realizar procedimentos como permanentes ou alisamentos, principalmente nos quatro primeiros meses da gravidez, período em que ocorre o desenvolvimento da maioria dos órgãos do feto”, finaliza o Dr. José Bento.

 

Para saber mais:

O portal www.gineco.com.br, desenvolvido pela Bayer Schering Pharma para disponibilizar informações sobre saúde feminina em todas as fases da vida, possui uma seção especial para as gestantes. No site, a internauta poderá tirar dúvidas sobre os exames solicitados pelo especialista, nutrição gestacional e cuidados com a beleza, além de outros temas.



Veja Também


Contatos
(17) 3281-6173
(17) 99721-1925

Estância Turística
de Olímpia
Cep: 15400-000