Gastronomia

Dia Mundial do Pão, brasileiros são consumidores assíduos do famoso ‘francês’

Hoje é o Dia Mundial do Pão. Atualmente, existem diversos tipos no mercado. Para homenagear um dos alimentos mais consumidos no mundo, a data foi instituída em 2000, em Nova York, pela União dos Padeiros e Confeiteiros.

 

História do pão

O primeiro registo do pão fermentado data de, aproximadamente, 4 mil anos a.C., quando os egípcios realizaram a fermentação de uma massa de trigo. O pão era o alimento do povo. Os egípcios amassavam com os pés, utilizando espécies de trigo de qualidade inferior. O trigo de qualidade superior estava reservado para os ricos.

 

 

Foram os romanos que espalharam o consumo do pão pela Europa. Era costume fazer-se uma cruz na massa do pão e rezar para que crescesse bastante, o que originou um corte que ainda se vê nos pães de hoje. Até a Idade Média o número de pães era uma medida de pagamento.

 

 

Para os cristãos, o pão é um alimento sagrado: um símbolo do corpo de Deus, da vida e de partilha.

 

 

Sania Silva, moradora de Olímpia, ama um pãozinho feito na hora. Para ela, o pão é um alimento sagrado e não pode faltar de jeito nenhum.

 

 

“Desde criança amo o pão feito em casa ou pão francês. Pra mim é um alimento abençoado e saboroso. Combina com tudo. Além daquele pão quentinho com a manteiga derretendo, eu amo fazer várias combinações diferentes, pão com carne, com banana, nutella, queijo, presunto. Enfim, pão é vida”, declarou a consumidora assídua.

 

 

Marcell Maia Munhos é dono de uma Padaria chamada Pão Nobre, em Olímpia, e trabalha há quase 15 anos neste ramo, vendendo vários tipos de pães. Ele conta que fabricam pães de massa doce, pão integral, mas que o mais pedido entre os consumidores é o famoso pão francês.

 

 

“Em média, fazemos cerca de 2.000 pães por dia e saem praticamente todos. É muito satisfatório trabalhar neste ramo, pois é uma atividade em que se fideliza o cliente”, declarou Marcell.

 

 

Ele contou também que tem os clientes que não ficam sem o seu pãozinho feito na hora. Todos os dias buscam no período da manhã e da tarde.

 

 

“A produção é diária e constante para que tenhamos produtos sempre de ótima qualidade”, frisou.

 

 

Tudo isso depende de muita dedicação principalmente do padeiro. João Vitor Porto, que já trabalhou como padeiro durante três anos, conta como é a rotina de trabalho.

 

 

“São feitos, em média, 1500 pães por dia. É um ramo interessante de se trabalhar, com um horário bem flexível. O pão é feito de manhã, posto na câmara fria e aí ele fica o dia inteiro. Normalmente as padarias costumam fazer de noite também, por volta das 18h. Basicamente a rotina é essa, chegar, preparar o pão. O padeiro também faz rosca, bolo, doces. A rotina de trabalho é basicamente essa”, concluiu.



Veja Também


Contatos
(17) 3281-6173
(17) 99721-1925

Estância Turística
de Olímpia
Cep: 15400-000